Esclerose Múltipla: o que devemos saber sobre ela?

Esclerose Múltipla: o que devemos saber sobre ela?

Para quem prefere o conteúdo escrito:

Olá, pessoal. Meu nome é Daniel, sou médico neurologista e trabalho no Hospital Santa Rita, e hoje estou aqui para falar um pouco sobre a esclerose múltipla(EM). Essa é uma doença potencialmente grave, especialmente quando não tratada, que afeta o sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal), e que hoje atinge quase 3 milhões de pessoas em todo o mundo e mais de 30 mil pessoas no Brasil. Vamos lá?

1. O que é esclerose múltipla?

A esclerose múltipla é uma doença autoimune, ou seja, em que o próprio sistema de defesa ou imunológico, ataca o sistema nervoso central, sendo caracterizada como uma enfermidade inflamatória desmielinizante. Não podemos deixar de considerar que essa é uma doença considerada rara em geral, logo, ela exige a investigação de várias outras causas para se chegar ao diagnóstico, o que deve ser feito por um neurologista.

 

Vale lembrar que, além de ser uma doença potencialmente grave, a EM é mais frequente em pessoas que possuem entre 18 a 50 anos, ou seja, pode deixar sequelas em uma fase muito precoce da vida, sendo quase três vezes mais comum em mulheres do que em homens.

2. Quais os sintomas da esclerose múltipla?

Os sintomas mais comuns da doença são: alterações sensitivas nos membros, perda de visão (geralmente unilateral), fraqueza, visão dupla, problemas de equilíbrio e marcha, sinal de Lhermitte (sensação de choque descendo pelas costas ao fletir a cabeça) ou combinações desses sintomas.

3. Quais são as causas da esclerose múltipla?

As causas da esclerose múltipla ainda não são totalmente conhecidas, embora sejam comumente associadas a fatores genéticos, e sua evolução pode variar muito entre um paciente e outro.

4. Como investigar/diagnosticar a esclerose múltipla? 

Como já foi dito, geralmente investigamos outras causas de sintomas semelhantes ao da esclerose múltipla, e isso requer exames de sangue e exames de imagem, como ressonância de crânio e da coluna, além de exames do líquor.

 

A campanha agosto laranja tem como principal objetivo informar a população sobre essa doença que é bastante desconhecida por boa parte das pessoas, principalmente para que elas tenham consciência da importância de se diagnosticar e tratar o quanto antes.

 

Lembrem-se que a esclerose múltipla é uma doença que deve ser levada a sério, mas tem tratamento e é compatível com uma vida normal em todos os aspectos quando bem controlada. Por isso, não deixe para depois sua avaliação neurológica. Até a próxima!